5.8.08

Juliano Moreno vence 28ª Coxilha Nativista de Cruz Alta

Mais um festival ao lado de grandes amigos!

28ª Coxilha Nativista de Cruz Alta

“Justimiano Carrapicho” – Campeã do festival



“Marca de casco e sereno

O mundo ficou pequeno

Berrando a tropa se foi...”

Dos versos do João Sampaio e do Diego Muller saiu a inspiração poética, da melodia terna do érlon saiu a belíssima melodia da canção tropeira, e da interpretação de Juliano Moreno, Érlon Péricles e Ângelo Franco, juntamente com o acompanhamento do Zelito, Miguel Tejera e Paulinho Goulart saiu a campeã da 28ª Coxilha Nativista de Cruz Alta.

A toada de ronda “Justimiano Carrapicho” foi a grande campeã da 28ª Coxilha Nativista de Cruz Alta. Era madrugada de segunda feira quando o resultado foi divulgado e aceito com unanimidade pelo público presente no Ginásio de Esportes, que por vários momentos aplaudiu em pé a interpretação do santanense Juliano Moreno e dos missioneiros Ângelo Franco e Érlom Péricles. Depois de classificarem-se para grande final da Coxilha, os três intérpretes realizaram uma apresentação impecável amadrinhados pelo violino de Zelito, o contrabaixo de Miguel Tejera e o acordeon de Paulinho Goulart, que foi o melhor instrumentista do festival. O 2º lugar foi para a música “Os iguais” com letra de Telmo Vasconcelos e música de Eduardo Monteiro defendida por Leonardo Paim e Jean Kirschof, que foi escolhida como melhor letra do festival e também os melhores intérpretes. O 3º lugar foi para “ Só mesmo você”, com letra de Robson Barenho e música de Talo Pereira, defendida por Daniel Torres.


“Justimiano alma estradeira

Vai com uma toada resera

Cantando coplas pra o gado...”


A cada momento da vida a gente sente presenças importantes em nossas vidas, amigos que gostamos cada vez mais e que se mostram ser amizades verdadeiras...aproveito este pequeno parágrafo para expressar meu apreço por algumas pessoas que ultimamente me fazem tão bem, que quando estou perto aprendo, penso, reflito e analiso os momentos vividos. Falo de Érlon Péricles, Shana Muller (gracias por admirar o meu trabalho, Ângelo Franco, entre outros...também deixo um abraço especial a pessoa do Dr. Pedro Furian que não mediu esforços para nos dar uma estadia de forma impar. Zelito, Tejera, Paulinho, agradeço de dentro da alma o apoio e os momentos compartilhados em Cruz Alta.


"Eira, eira, eira boi...

Eira, eira, eira boi...

Marca de casco e sereno

o mundo ficou pequeno

berrando a tropa se foi"



passa boi...êira boi...



Veja abaixo o vídeo da apresentação da música na final....

Um comentário:

Gra. disse...

Depois de suas palavras carinhosas a respeito da Música e de seus parceiros na 28º Coxilha Nativista, tenho que dizer de minha alegria em ter compartilhado dos momentos de ensaio e apresentação de vcs, e da minha emoção ao escutá-los!Vocês mereceram este prêmio!!!
Um grande abraço e sucesso...

Graciela Borges